sexta-feira, agosto 29, 2008

No dia 30 de Agosto de 2006, ela...

... era assim:



Hoje, na véspera do seu SEGUNDO ANIVERSÁRIO ela está assim:



Dá para acreditar como o tempo passou tão depressa?


quinta-feira, junho 26, 2008

Para ti, meu anjo Beatriz


Hoje farias 3 anos.
Parabéns, meu anjo.
Sinto a tua falta, minha querida.
Amo-te... Amo-te...


quarta-feira, junho 04, 2008

"Cris"...

... é como é tratado o filho de uma vizinha minha. Tem quase 4 anos, é um reguila de primeira e é muito engraçado. O rapaz parece que tem pilhas duracell... E porque falo eu dele? Porque no sábado passado, cruzámo-nos (eu e a Leonor) com ele a caminho do café. Ele brincava na rua e quando a viu, parou e sorriu. Correu até ela e disse-lhe um felicissimo "Olá!". Depois pegou na mão dela e levou-a até dentro do café e disse "Mãe! Mãe! Olha a bébé! A Leonor!". E ela encantada da vida... sorria, andava atrás dele e dizia-me "Nino, mãe! É o nino!". Enquanto bebia a minha bica, eles praticamente não se deixaram e quando saimos do café ele veio, deu-lhe mais uma vez a mão e foi com ela até à porta do prédio. Disse-lhe "Até logo, bébé.", ela respondeu um sorridente "Xa-xau" e ele voltou para perto da mãe. E eu? Eu fiquei quase de lágrima no olho, sem palavras perante tanta ternura partilhada entre eles...

quinta-feira, maio 29, 2008

Saudades...

... é que estou a sentir agora... devia estar concentrada no trabalho (afinal tenho uma pilha de papéis na minha secretária que faz séria concorrência ao Everest) mas os pensamentos teimam em ser dominados por ELA... enfim... lamechices de mãe...

terça-feira, abril 29, 2008

Bébé...

... penso que este é o primeiro post que te escrevo desde que nasceste. Parece incrivel, não achas? Escrevi tanta coisa para a tua irmã e para ti durante a gravidez. E depois, nasceste e eu parei de escrever. Sabes, isto acontece-me com frequência, o ter tanto para dizer e não saber como. Mas hoje, enchi-me de coragem, e aqui estou sentada em frente ao monitor e com os dedos a passarem velozmente pelo teclado, digitando estas palavras que serão só para ti.
Foste um bébé muito desejado, e nunca duvides disso. Admito que tive muito medo no início, que não vivi a gravidez como deveria tê-la vivido, intensamente. Decidi viver aqueles nove meses com calma, vivendo um dia de cada vez, sem pensar muito no futuro. Tudo porque a inocência me foi roubada de forma cruel, no dia em que perdi a tua irmã. Mas tudo o que contive dentro de mim durante esses meses, não consegui mais reter quando nasceste. Leonor, podes não acreditar, mas garanto-te que nunca irei esquecer o momento em que te puseram a meu lado depois de nasceres. Fecho os olhos e sou capaz de ver ali, o teu rosto junto ao meu, e eu a murmurar-te um mais que feliz "Bem-vinda, Leonor...". Eras tão pequenina, minha linda, tão pequenina... Mas para mim eras (e és) maior que o mundo, maior que universo. Talvez um dia eu te consiga explicar a emoção que foi teres entrado nas nossas vidas. Depois de toda a tempestade que antecedeu a tua chegada, tu foste o mais belo raio de Sol. Por ti, por causa de ti, eu acredito em milagres.
Voltarei a escrever-te mais vezes, minha docinha... porque tenho tanta coisa para te dizer e porque te amo.
Até já, meu anjo.

segunda-feira, abril 21, 2008

A menina dança?




video

Ela é...


... MESMO menina... Gosta de fazer tótos, de cantar e dançar. Se lhe perguntam "onde está a menina bonita" aponta logo para ela. E se apanha a escova ou o pente, começa a logo a pentear-se. Não posso mostrar-lhe os meus cremes, que me mostra logo a mão dela e diz "Pô qui, mãe. Pô qui!". É... parece-me que tenho uma "girly girl" e já começo a ver o meu futuro cheio, cheínho de tons cor-de-rosa, bonecas, lacinhos, baton e rimel...

MÃE! MÃE! MÃE!!!!!!!


Ela já diz MÃE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, janeiro 21, 2008

ÔTCHO

É a palavra de ordem nestes últimos dias quando:
- acaba de comer um iogurte, uma bolacha, pão, fruta
- acaba de ver um vídeo do Pigloo, do Noddy, do Ruca
Mas será pedir muito que diga "MÃE"? (graaaaaande suspiro...)

terça-feira, janeiro 15, 2008

Será normal...

... achar falta do caos "bébézal"?
É que hoje a rapariga fica em casa dos avós paternos e eu, em vez de estar a apreciar a (há muito desaparecida) paz e tranquilidade do lar, estou para aqui a sentir falta das birras, dos brinquedos espalhados por tudo quanto é canto, dos pedidos insistentes de colo, dos abraços e beijos lambuzados, etc, etc, etc...

terça-feira, janeiro 08, 2008

O ano de 2007...

... terminou com a rapariga a curar-se de uma gripe que me levou, mais uma vez, às urgências do Amadora-Sintra. Nem vos conto detalhes da nossa última "visita" com a Leonor lá, porque foi muito angustiante... mas só vos digo que na parte final, se lá estivessem, poderiam ter assistido aqui a vossa amiga a entrar desembestada pelo gabinete de um médico dentro (entenda-se que já eram quase 23h, nós já lá estávamos desde as 16h, a míuda estava a arder em febre e já me tinha vomitado 2 vezes...). Enfim, a coisa lá se resolveu e a Leonor está (isola, isola, isola) bem de saúde, muito obrigada.

O ano de 2008 começou com o meu marido doente e eu, mais uma vez, batida nas urgências dois dias seguidos por causa dele... Em ambos os dias tive experiências surreais... Decididamente o mundo das urgências hospitalares são GRANDES testes à nossa paciência e capacidade de resistência emocional e física... Mas o pior (isola, isola, isola) já passou e o maridinho regressa amanhã ao trabalho, depois de uns dias de baixa.

De resto, a rapariga já come sozinha e já percebi que tenho de arranjar um "diccionário" porque ela já diz: "pete" = tapete, "pato" = sapato, "bo" = avô, "exe" = peixe, "pan" = panda (sim, o do canal), "pa na" = Pai Natal, entre outras "palavras" que não me recordo, agora.

Tenho ver se arranjo umas fotos actualizadas para pôr aqui. E vamos lá a ver se é desta que estou DE FACTO de volta ao meu cantinho!